UTILIZE O CUPOM
PRIMEIRACOMPRA
GANHE 5% DE DESCONTO E 5% DE CRÉDITO EM TODAS AS COMPRAS.
CUPOM
PRIMEIRACOMPRA
5% OFF + 5% DE CRÉDITO.

Encontre seus produtos para saúde
Foto mostra um consultório com o médico de jaleco e estetoscópia mostrando um tablet para o paciente homem de meia idade


Mais do que irritante: Problemas urinários em homens estão relacionados a vidas mais curtas


A incontinência urinária pode atormentar os homens à medida que envelhecem, mas um novo estudo sugere que pode ser mais do que apenas uma condição incômoda e pode realmente ser um prenúncio de morte precoce.

"Isso indica a importância de avaliar a saúde geral, os fatores de risco e as principais comorbidades entre homens com LUTS [sintomas do trato urinário inferior]", escreveram os pesquisadores, liderados por Jonne Akerla, do departamento de urologia do Hospital Universitário de Tampere, em Finlândia.

A equipe analisou LUTS em mais de 3.000 homens finlandeses que se inscreveram em um estudo em 1994, quando tinham 50, 60 ou 70 anos. A pesquisa incluiu um acompanhamento de 24 anos em 2018 de 1.167 homens. Cerca de metade morreu durante os anos seguintes.

A equipe analisou os sintomas do trato urinário inferior dos homens como um fator de risco para morte, ajustando para idade e outras condições médicas e considerando se os sintomas "incomodavam" os homens.

Em geral, sintomas moderados e graves do trato urinário inferior foram marcadores de problemas de saúde, de acordo com a equipe.

Dr. Craig Comiter, professor de urologia da Stanford University School of Medicine, na Califórnia, achou o estudo intrigante, já que estudos anteriores não mostraram uma ligação entre mortalidade e incontinência.

"Os autores devem ser elogiados por suas conclusões ponderadas, levantando a hipótese de que os sintomas urinários são mais um marcador de problemas de saúde do que uma causa direta de morte", disse Comiter. Ele descreveu STUI como qualquer distúrbio que afeta o armazenamento urinário, incluindo produção excessiva de urina, esvaziamento incompleto da bexiga, distúrbios neurológicos e miogênicos (musculares) da bexiga e obstrução benigna da próstata.

Essas disfunções urinárias podem ser causadas por uma variedade de condições médicas comuns, incluindo doenças cardíacas ou neurológicas, diabetes, distúrbios do sono, mobilidade restrita, doença de Parkinson, demência, acidente vascular cerebral e esclerose múltipla.

Neste estudo, os homens que apresentaram sintomas moderados a graves de esvaziamento da bexiga (como hesitação, fluxo fraco e esforço) tiveram um aumento de 20% no risco de morte durante o período do estudo. Aqueles que apresentavam sintomas considerados de “armazenamento”, como micção diurna frequente, incontinência e noctúria (acordar à noite para urinar), tiveram um aumento de 40% no risco de morte durante o estudo.

Mesmo para aqueles no estudo com sintomas leves, se tivessem frequência diurna, o risco de morte aumentou em 30%. Se eles tivessem noctúria, o risco de morte foi aumentado em 50%.

A necessidade de urinar à noite ou mais do que a cada três horas durante o dia pode ser "importante para o paciente", especialmente se for persistente, disseram os pesquisadores.

A incontinência urinária frequente teve uma associação particularmente forte com o risco de morte, o que sugere que a urgência urinária tem um impacto significativo na saúde e no estado funcional em homens idosos, disseram os autores, e pode ter sido um reflexo de doença neurológica ou vascular de longo prazo.

Os resultados foram publicados online recentemente no The Journal of Urology.

Dr. Anthony Schaeffer, professor de urologia da Northwestern University Feinberg School of Medicine, em Chicago, disse acreditar que os resultados podem ser estatisticamente significativos, mas não clinicamente significativos.

"Há um leve aumento na mortalidade, mas existem comorbidades [outras condições de saúde] nesses homens", disse Schaeffer.

"O que você faz sobre isso? O que você faz sobre isso é o que todos nós fazemos, nós tratamos essas pessoas", disse ele.

Schaeffer disse que não há evidências de que o tratamento de pessoas com LUTS melhore sua expectativa de vida.

LUTS é tipicamente diagnosticado pelos sintomas, e os médicos os tratam com uma variedade de opções sob as diretrizes da American Urological Association, disse Schaeffer, incluindo medicação e cirurgia.

Ele apontou que ensaios controlados randomizados (o padrão-ouro para pesquisa) seriam necessários para mostrar que o tratamento de LUTS reduz o risco de morte precoce.

Nenhum estudo anterior vinculou a incontinência à morte, disse Comiter, acrescentando que o fato de este estudo mostrar incontinência de urgência e morte prematura pode de fato estar relacionada é importante.

"Mais pesquisas devem investigar o papel da 'mobilidade restrita' como uma ligação entre fragilidade e incontinência, pois essa mobilidade restrita pode ser o fator que transforma a micção frequente e urgente em incontinência franca", disse Comiter. “Além disso, estudos em populações mais jovens são vitais para ver se existe uma verdadeira relação causal entre sintomas urinários e mortalidade ou se é simplesmente um marcador de saúde precária em idosos”.


Artigos Relacionados:

Tudo Sobre Incontinência Urinária

Incontinência urinária: saiba como prevenir


Autora: Cara Murez

Encontre seus produtos para saúde e receba em todo Brasil.
Lembrou de alguém? Compartilhe!

Comprar Produtos